30/06/2017 18h41

Modernização e tecnologia resultam em economia e eficiência operacional para a área da logística florestal da Fibria

Equipamento instalado nos caminhões reduz o consumo de combustível, as emissões de gases de efeito estufa e o impacto ao meio ambiente

Por: Painel Florestal - Assessoria
 
Caminhões de transporte de madeira da Fibria agora terão deflatores de ar Caminhões de transporte de madeira da Fibria agora terão deflatores de ar

Após pesquisas e estudos, a Unidade da Fibria em Três Lagoas (MS) implantou um mecanismo físico chamado de defletores de ar e também uma ferramenta tecnológica que reduz os impactos ambientais e eleva a eficiência operacional na área da logística florestal, chamado Salvador.

Os defletores de ar, também conhecidos como aerofólio (mecanismo utilizado para melhorar o fluxo do ar em um veículo em movimento), são utilizados para canalizar o ar em torno do veículo e torná-lo o mais aerodinâmico possível. Sem ele, o ar se choca na parte frontal da carreta e faz com que o caminhão precise de mais força para romper a resistência e, consequentemente, gaste mais combustível.

Esse equipamento está presente em 100% da frota de carretas que trabalham com o transporte da madeira na unidade da Fibria em Três Lagoas (MS). "O uso desse componente trouxe uma economia de aproximadamente 5% no consumo mensal de diesel, trazendo competitividade e mais equilíbrio para o meio ambiente", diz Alan Charles Brehmer, gerente de Logística Florestal da Fibria em Mato Grosso do Sul.

A iniciativa da empresa ainda contribui com redução da emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, o principal gás de efeito estufa. A utilização do defletor também permite diminuir a carga sobre o motor, melhorar a aceleração do caminhão e aumentar o tempo de vida útil dos pneus.

Gestão eletrônica

Já o dispositivo eletrônico conhecido como Salvador é uma nova ferramenta que auxilia na gestão da direção dos condutores de carretas que trabalham com o transporte da madeira para a Fibria em Mato Grosso do Sul.

O aparelho, que está em fase de implantação, é acoplado ao veículo e atua como um controle eletrônico. Durante a viagem, ele analisa a velocidade, rotação por minuto (RPM) e a realização das frenagens do motorista. Com essa análise são feitos ajustes e, automaticamente, reduzido o giro do motor, o que resulta em uma economia de 7% a 20% do consumo do combustível, além de reduzir também a emissão de gases de efeito estufa.

Toda a análise do "Salvador" é transferida, via internet, para um banco de dados no escritório da Fibria, localizado na unidade florestal da empresa em Três Lagoas (MS). Esses dados são transformados em um relatório que mostra aos gestores o desempenho dos motoristas tanto na questão operacional quanto sobre a prática da direção defensiva.

"Esse relatório é enviado semanalmente pelos gestores aos motoristas para avaliarem suas atividades e implementarem melhorias. Dessa forma, é possível buscar a evolução contínua na direção e visão sobre o respeito e a segurança com a comunidade e o meio ambiente", diz Brehmer.

O objetivo é que, até o final do ano, 100% da frota utilize essa tecnologia. Atualmente, 20% dos veículos destinados ao transporte da madeira para a Fibria em Mato Grosso do Sul já contam com essa ferramenta tecnológica.

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL