25/07/2018

Rede irá promover igualdade de oportunidades para mulheres no setor florestal

Iniciativa será lançada durante evento no dia 3 de agosto, em Curitiba

Painel Florestal
 

Uma rede independente de mulheres do setor florestal começa a ganhar voz a partir da mobilização de um grupo de profissionais do Paraná. De caráter não governamental, sem fins lucrativos ou vinculação partidária, a Rede Mulheres do Setor Florestal - Rede Mulher Florestal está sendo criada para promover o respeito à diversidade e à igualdade de oportunidades nesse segmento.

De acordo com uma das idealizadoras do projeto, a consultora e engenheira florestal Fernanda Rodrigues, o setor florestal historicamente é majoritariamente masculino. "A inserção das mulheres nesse mercado se deu mais recentemente e o tema equidade de gênero necessita de discussão ampla, já que o assunto é evidente nas discussões internacionais e nacionais, mas incipiente dentro do segmento", afirma. Vale lembrar que a discussão já faz parte dos novos padrões que serão adotados pelo Forest Stewardship Council (FSC), que certifica áreas florestais em todo o mundo.

A organização pretende ser uma plataforma, que permita que mulheres ligadas ao setor florestal brasileiro tenham seu primeiro contato, ampliem, promovam e compartilhem seu conhecimento sobre o tema gênero no setor florestal.

Para isso, irá atuar a partir de sete estratégias que foram alinhadas com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Organizações das Nações Unidas (ONU) número 5 que preconiza: "Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas e com o Plano Estratégico das Nações Unidas para as Florestas 2017-2030". As estratégias da Rede são:

  • Promoção e participação em debates sobre a presença efetiva das mulheres nos níveis de tomada de decisão do setor florestal;
  • Promover junto aos governos a inclusão das mulheres na formulação e implementação e políticas florestais;
  • Discutir e oportunizar a presença das mulheres em todos os níveis no setor florestal;
  • Promoção e participação em debates sobre o papel das mulheres no setor florestal;
  • Promoção e participação em debates sobre igualdade de gênero e empoderamento das mulheres no setor florestal;
  • Gerar e difundir dados sobre gênero no setor florestal;
  • Promover ações de educação, treinamento e extensão no setor florestal.

Ao lado de Fernanda nessa empreitada estão as engenheiras florestais Maria Harumi Yoshioka, Helena Pereira, Patrícia Nazário, Adriana Santos e Ana Paula Dalla Corte, e a advogada, Mônica Breda.

Lançamento

O lançamento da Rede será no dia 03 de agosto às 19h, no Centro de Ciências Florestais e da Madeira (CIFLOMA) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Neste encontro inaugural a ideia é discutir estratégias para alcançar a igualdade de gênero.

A programação contará com a apresentação dos "Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: igualdade de gênero na agenda global" pela socióloga e consultora em sustentabilidade pelo Sesi do Paraná, Renata Fagundes Cunha. Há mais de 20 anos é ativista pela garantia de direitos das mulheres, tendo sido uma das fundadoras do Fórum Popular de Mulheres do Paraná em 1994.

Durante o Seminário também será apresentado o marco de criação da Rede Mulher Florestal, quando da participação no Foro das Nações Unidas sobre Florestas em maio deste ano e discutidas as principais barreiras e oportunidades para igualdade de gênero no setor florestal.

Apesar do foco da Rede estar nas mulheres, Fernanda faz questão de deixar claro: "homens que atuam no setor são bem-vindos e parte da solução".

Para saber mais: facebook.com/redemulherflorestal.

Envie seu Comentário

 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL