01/02/2017 11h48

Eldorado Brasil vai investir R$ 12 bilhões até 2019 e vai demonstrar o projeto Vanguarda 2.0 na Feira Três Lagoas Florestal

A feira será realizada entre os dias 28 e 30 de março na capital mundial da celulose e a Eldorado já finalizou as obras de terraplanagem do projeto de duplicação

Por: Painel Florestal - Elias Luz
 
 
José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado Brasil, durante palestra no II Circuito de Desenvolvimento da Tríplice Fronteira José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado Brasil, durante palestra no II Circuito de Desenvolvimento da Tríplice Fronteira

A palestra do presidente da Eldorado Brasil, José Carlos Grubisich, foi uma das principais atrações II Circuito de Desenvolvimento da Tríplice Fronteira – evento realizado no município de Costa Rica, no Mato Grosso do Sul (MS), no último fim de semana, pela Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco). Prefeitos dos demais Estados da região, como Goiás e Mato Grosso, também participaram do circuito, que contou com a presença do senador Waldemir Moka, do ex-governador André Puccinelli e do secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

A presença predominante de prefeitos e empresários de Mato Grosso do Sul pôde ser melhor caracterizada pela palestra de José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado Brasil. Ele anunciou que a empresa deve investir até R$ 12 bilhões entre este ano e 2019. A Eldorado Brasil será uma das atrações da 3ª edição da Feira Três Lagoas Florestal, a maior feira do setor florestal deste ano no Brasil, que será realizada na Arena Mix – em Três Lagoas – entre os dias 28 e 30 de março. Além da feira, os participantes terão acesso à rodada de negócios, seminários explicando as mais atuais pesquisas e estudos científicos em todos os segmentos do setor e novidades tecnológicas.

Durante a palestra, José Carlos Grubisich destacou que a Eldorado Brasil iniciou a produção – em 2012 – com 1,5 milhões de toneladas por ano. Esta produção se encontra hoje em 1,7 milhões e até o fim de 2019 a previsão é chegar ao patamar de 4,2 milhões de toneladas de celulose ao ano. A empresa deve anunciar o balanço do último trimestre de 2016 e o balanço geral do ano até o fim da próxima semana, mas Grubisich ressaltou que no terceiro trimestre do ano passado, o lucro líquido chegou a R$ 204 milhões e uma geração de caixa de R$ 1,6 bilhões, também no mesmo período.

A área plantada da Eldorado Brasil, que hoje se encontra em 240 mil hectares, deve chegar até 400 mil em 2019. José Carlos Grubisich deixou claro que a empresa já exporta para o mundo inteiro, vai aumentar esta comercialização internacional e apontou o município de Ribas do Rio Pardo – no Mato Grosso do Sul – como um lugar promissor para investimentos. "Tudo o que produzimos é comercializado. A nossa produtividade chegou 42 metros cúbicos por hectare ao ano. Nossa colheita é 100% mecanizada e conseguimos reduzir em 40% nossos custos com logística, por meio da primarização de toda a produção", detalhou Grubisich.

A Eldorado produz 30 milhões de mudas de eucalipto nos próprios viveiros e compra outros 50 milhões de viveiros terceirizados. Segundo José Carlos Grubisich, dos R$ 12 bilhões que serão investidos até 2019, pelo menos 30% serão de capital próprio e outros 70% virão de financiamentos. Um deles será via Sudeco – Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste – por meio do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) e Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), que pode vir via Banco do Brasil ou Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Eldorado vai investir, ainda, R$ 400 milhões numa termelétrica em Selvíria (MS) e, em seguida, deverá construir outras sete no Mato Grosso do Sul, com os municípios a definir. A energia será gerada por meio de biomassa de eucalipto, ou seja, energia limpa.

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL