16/06/2017 16h26

Versatilidade do maquinário é responsável pela diminuição dos custos na colheita

Toras curtas, longas ou árvores inteiras, qual máquina comprar?

Por: Julia Carolina Athanázio Heliodoro
 
Mini forwarder da Alstor, fabricado na Suécia

Com a versatilidade das máquinas florestais mostrada na ElmiaWod 2017, não é mais preciso escolher o sistema de colheita a ser utilizado antes de comprar a sua máquina! É possível ter apenas um equipamento fazendo as operações em todos os sistemas de colheita florestal, diminuindo seu investimento inicial com custos de manutenção da máquina e aumentando a praticidade das operações de acordo com a sua necessidade.

O sistema de toras curtas tem a vantagem de fazer todo o beneficiamento da madeira em campo e diminuir a agressão ao solo, além de deixar uma camada de composto orgânico distribuído no talhão. O sistema de toras longas ou árvores inteiras, apesar de mais agressivo e menos produtivo, tem a vantagem de poder ser empregado em terrenos mais acidentados e a possibilidade de se aproveitar os resíduos do processamento que é feito nas beiras de estradas ou no pátio de destino final, para geração de energia.

O sistema deve ser escolhido em função do tipo de solo, dificuldade de acesso, adensamento do plantio, destinação final da madeira e custos de operação pretendidos. Quanto ao maquinário utilizado, o sistema de toras curtas normalmente utiliza a Harvester para colheita e processamento da madeira e a Forwarder para extração sem arraste da madeira no talhão, enquanto que nos demais sistemas as principais máquinas utilizadas são o Feller-buncher para colheita e Skidder para arraste.

Três máquina em uma!!!

A alemã HSM, presente na ElmiaWood 2017, combinou o Skidder com o Forwarder para não termos que escolher! Disponível em três modelos (HSM 208, 805 e 904) com diferentes capacidades de carga, as máquinas podem ainda trocar sua garra por um cabeçote de harverter e completar todas as operações realizadas na colheita!

Alstor

Já a empresa sueca Alstor apresentou na feira seus mini-forwarders, equipamentos compactos, muito procurados pela sua facilidade de acesso em áreas de grande adensamento florestal. Esses equipamentos tem capacidade de carga de até 2,5 toneladas e podem ter uma mesa processadora acoplada (processador Hypro 300) para funcionarem como Harverters (harvesterAlstor 300) fazendo todas as operações da colheita do tipo de toras curtas.

BuffaloDual

As máquinas duplas são uma tendência e a Ponsse também tem a sua versão: a Ponsse BuffaloDual é a união de um harvester eficiente e um forwarder poderoso, segundo a empresa.

208 F, da HSM
Ponsse BuffaloDual

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL