08/03/2017 01h05

Próxima edição da Ligna será a maior de todos os tempos, com mais de 1.500 expositores

A maior feira de processamento de madeira do mundo será em Hannover, Alemanha, de 22 a 26 de maio deste ano

Por: Painel Florestal - Elias Luz
 
 
Andreas Gruchow, membro do Conselho de Administração da Deutsche Messe AG, realizadora da Ligna Andreas Gruchow, membro do Conselho de Administração da Deutsche Messe AG, realizadora da Ligna

A próxima edição da Ligna – maior feira de máquinas de processamento de madeira do mundo – já tem data marcada: será de 22 a 26 de maio em Hannover, na Alemanha. Serão mais de 1.500 expositores de 45 países e visitantes de 90 nações. Durante o lançamento da Ligna, realizado em Hannover, no dia 14 de fevereiro, o membro do Conselho de Administração da Deutsche Messe AG, Andreas Gruchow, foi enfático: "estamos sempre nos aprimorando e a feira ficará maior a cada edição".

A Deutsche Messe AG organiza a Ligna e outras feiras em praticamente todos os continentes no planeta. De acordo com Andreas Gruchow, serão somente dez pavilhões repletos de empresas comercializando máquinas e equipamentos de última geração, mas o número o total, levando-se em conta outros segmentos madeireiros, passará dos 25. "Uma das grandes novidades é que teremos muitos expositores estreantes, o que mostra como a Ligna é dinâmica e gera negócios e resultados expressivos, isso sem contar que uma de nossas premissas é a busca incansável por inovação, porque é isso que o mercado e, consequentemente, as empresas precisam, ou seja, produzir mais com menos custo e com alto desempenho", detalhou Andreas Gruchow, em uma apresentação para jornalistas de dezenas de países, incluindo o Brasil.

 
Wolfgang Pöschl, presidente da Divisão de Máquinas de Madeira da Associação de Fabricantes Alemães de Maquinaria e Instalações (VDMA), que também organiza a Ligna Wolfgang Pöschl, presidente da Divisão de Máquinas de Madeira da Associação de Fabricantes Alemães de Maquinaria e Instalações (VDMA), que também organiza a Ligna

O presidente da Divisão de Máquinas de Madeira da Associação de Fabricantes Alemães de Maquinaria e Instalações (VDMA), que também organiza a Ligna junto com a Deutsche Messe AG, Wolfgang Pöschl, destacou que a feira vive um processo contínuo de crescimento desde a sua criação, durante a década de 70. Para Pöschl, o caminho é avançar em todos os processos relacionados à digitalização. "A Ligna é completamente integrada em todos os seus segmentos tecnológicos, que vão desde máquinas para processar madeira, até equipamentos de engenharia para as indústrias de celulose, papel, embalagens, móveis e uma série de produtos", disse Wolfgang Pöschl, que demonstrou ainda que o Brasil é o quinto maior importador de equipamentos de tecnologia, o que significa 19% das vendas.

 
Giulio Masotti, arquiteto e empreendedor Giulio Masotti, arquiteto e empreendedor

Durante os cinco dias de Ligna – em maio – serão demonstradas uma variedade de ferramentas e máquinas que possuem como principal característica a inovação que as empresas tanto buscam. A Ligna vai ocupar uma área de 122 mil metros quadrados e também terá um amplo para as apresentações das mais modernas máquinas florestais. Além da Alemanha, outros países terão grande participação, como, por exemplo, Itália, Áustria, China, Turquia, Espanha, Estados Unidos e Suíça. Será a maior feira de automação da indústria madeireira e florestal.

 
Anja Brokjans, porta-voz da Ligna Anja Brokjans, porta-voz da Ligna

O arquiteto e empreendedor Giulio Masotti, que também participou da série de palestras durante o lançamento da Ligna, ressaltou que a feira será uma ótima oportunidade de se trabalhar novos designers em produtos madeireiros. "Temos as máquinas e a nossa inteligência. Esses dois componentes farão da Ligna um evento único, além de softwares voltados para o setor", avaliou Masotti. A porta-voz da Ligna, Anja Brokjans, agradeceu à presença dos jornalistas durante o evento de lançamento da Ligna – intitulado Ligna Preview – e está confiante no sucesso desta edição. "Temos dedicado toda a atenção que a indústria da madeira e que a silvicultura e seus diversos segmentos e áreas afins merecem", informou Brokjans.

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL