02/06/2017 20h49

FMC planeja ter 100% de embalagens ecológicas até o fim de 2018

As embalagens Green são feitas de material renovável e contém, no mínimo, 51% de polietileno a base de cana-de-açúcar em sua composição

Por: Painel Florestal - Assessoria
 
Para 2017, a estimativa é que 60% das aquisições de embalagens da companhia tenham o selo “I’m green™” e, em 2018, a projeção é atingir 85%. Para 2017, a estimativa é que 60% das aquisições de embalagens da companhia tenham o selo “I’m green™” e, em 2018, a projeção é atingir 85%.

Em busca de inovações sustentáveis que contribuam com o meio ambiente no campo, a FMC Agricultural Solutions é a primeira empresa do setor a utilizar embalagens rígidas (bombonas) produzidas com matéria-prima de fonte renovável. Denominada pela FMC como "Family Green", as embalagens utilizam o polietileno proveniente da cana-de-açúcar em substituição a uma parte do petróleo empregado na sua composição.

As Embalagens Green são feitas de material renovável e contém, no mínimo, 51% de polietileno a base de cana-de-açúcar em sua composição. Produzido pela Braskem, o biopolímero contribui para a redução de gases do efeito estufa. As embalagens podem ser identificadas pelo selo "I’m green™", que leva em consideração a transparência na comunicação e atendimento às normas internacionais de selos de programas sustentáveis.

Para 2017, a estimativa é que 60% das aquisições de embalagens da companhia tenham o selo "I’m green™" e, em 2018, a projeção é atingir 85%. Entre 2012 e 2016, as aquisições efetuadas pela FMC de embalagens com selo "I’m green™" reduziram a emissão de 3.520 toneladas de CO2 da atmosfera e, entre 2017 e 2018 apenas, a estimativa é que reduzam mais 5.162 toneladas. As Embalagens Green podem ser produzidas pelos maiores fornecedores de embalagens rígidas do mercado de agronegócio, como Greif, Unipac, Ipackchem, entre outros.

Em outra frente de sustentabilidade, 15% das aquisições de embalagens estão relacionadas às embalagens recicladas provenientes do sistema Inpev/Campo Limpo, que são compostas de 85% de polietileno reciclado e 15% de polietileno de recurso fóssil. Entre 2012 e 2016, estas embalagens reduziram 1.642 toneladas CO² da atmosfera e, entre 2017 e 2018, a estimativa é que reduzam mais 823 toneladas. Dessa forma, totaliza-se 100% das aquisições de embalagens rígidas de fontes sustentáveis até 2018.

Espera-se que até o final de 2018, as iniciativas tenham contribuído para uma redução de 11.147 toneladas de CO² da atmosfera, valor equivalente a não emissão de CO² de um carro percorrendo 1.065 vezes na circunferência da terra. O objetivo da estratégia é reduzir o impacto ao meio ambiente e avançar no uso de tecnologias inovadoras. Além disso, reduzir a dependência do petróleo, recurso fóssil mais utilizado como matéria-prima para a produção de embalagens tradicionais. "Esta embalagem segue os mais altos padrões de qualidade, segurança e desempenho do mercado. Também proporciona alto índice de economia ecológica, ao diminuir o impacto ambiental da produção e descarte de embalagens", assegura Ronaldo Pereira, Presidente da FMC Agricultural Solutions América Latina.

Inspirada pelo conceito de agricultura responsável, a companhia investe em produtos que tenham harmonia com o meio ambiente e em pesquisas para viabilizar o uso e desenvolvimento de materiais verdes ou reciclados. "Temos o compromisso de atender ao produtor em todas as suas demandas e o descarte de embalagens vazias é uma delas. Acredito que o caminho da sustentabilidade deve guiar nossas atividades para que as gerações futuras desfrutem dos recursos naturais disponíveis", ressalta.

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL