O Portal Biomassa BR traz uma série de entrevistas exclusivas com alguns dos palestrantes do CIBIO 2018!

Com um conteúdo inédito sobre a produção de energia através do biohidrogênio, o Prof Dr Eduardo Bittencourt Sydney, da UTFPR conta um pouco sobre sua vida profissional e quais novidades trará em sua palestra

Biomassa BR: Nos conte um pouco da sua história e suas atividades dentro do setor de Biomassa e Energia.

Eduardo: Eu me formei em uma escola de engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia (UFPR), onde desde sempre atuei na valorização de subprodutos industriais por via fermentativa, nessa linha, buscamos soluções ambientalmente corretas e economicamente viáveis para a destinação de efluentes sólidos, líquidos e gasosos produzidos pelas diferentes atividades industriais, gerando um sistema de biorrefinaria e economia circular. Tenho experiência no desenvolvimento de tecnologias para produção de biohidrogênio, biogás, biodiesel e etanol.

Biomassa BR: Como o senhor enxerga o setor de biomassa no Brasil? E quais suas expectativas para os próximos anos?

Eduardo: Não é à toa que a maioria dos países do mundo querem formar parcerias com o Brasil. Somos um dos maiores produtores de biomassa nível mundial e não podemos simplesmente entregar nossa riqueza. Temos que ser capazes de explorar nossa riqueza e desenvolver tecnologias que nos tornem um país soberano. A necessidade de ampliação da produção de energia e principalmente da diversificação da nossa matriz energética fez com que o setor de energia se conectasse bastante com o de biomassa nos últimos anos. Ainda estamos bastante dependentes dos sistemas etanol e queima do bagaço para geração de energia térmica, mas os últimos avanços na área de biogás principalmente (sem citar fotovoltaico e eólica, que não envolvem biomassas), mostra que o país vai evoluir na exploração das biomassas para geração de energias renováveis.

Biomassa BR: O senhor trará para o evento o tema inédito "Energia a partir do Hidrogênio". Nos fale um pouco sobre ele e como será sua palestra durante o CIBIO 2018.

Eduardo: Historicamente a humanidade vem evoluindo no sentido de utilizar fontes de energia cada vez com menor teor de carbono (Madeira- Carvão - Petróleo- Gás - Natural). E essa cadeia termina no hidrogênio, solar, eólica. O hidrogênio possui a maior densidade gravimétrica de energia quando comparado a qualquer outro combustível, e é compatível com processos eletroquímicos e de combustão para a conversão de energia sem produzir as emissões ricas em carbono que contribuem para a poluição ambiental e mudanças climáticas. Isso ainda parece uma coisa do futuro, mas sabia que já existem veículos comerciais movidos a hidrogênio e que muitos países europeus já estão em vias de instalar postos de abastecimento de hidrogênio? Durante a palestra serão apresentados as vias de produção de hidrogênio e o papel fundamental que ele vai desempenhar em um futuro pouco distante. O Hidrogênio não é só mais uma fonte de energia, mas um forma muito seguro e eficaz de armazená-la e transportá-la.

Biomassa BR: Na sua opinião qual a importância de eventos como o CIBIO 2018 para o setor nos dias atuais?

Eduardo: O setor de biomassa desempenha um papel importante em busca do desenvolvimento científico, tecnológico, ambiental, social e econômico do Brasil. Precisamos promover amplas discussões acerca de tecnologias e realidade do setor. O CIBIO 2018 se destaca pela grande participação do setor produtivo, fomentando interseções empresa - academia, que é fundamental para o futuro do nosso país.

Fonte: Thayssen Carvalho - Portal Biomassa BR

 
 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL