23/01/2017 15h25

Duratex quer produzir e vender mais cavaco de eucalipto

Empresa expande suas vendas para usinas e indústrias, além de utilizar a matéria-prima como fonte de energia limpa em suas fábricas

Por: Painel Florestal - Assessoria
 
Cavaco de eucalipto será cada vez mais utilizado Cavaco de eucalipto será cada vez mais utilizado

Notando uma demanda crescente do mercado, a Duratex começou em 2014 a comercializar também o cavaco de madeira gerado por suas florestas cultivadas. Desde então, entre 2014 e 2016, por exemplo, a empresa aumentou em 10 vezes o volume comercializado de cavaco. Para 2017, está programado um aumento de 21% na comercialização deste produto em relação a 2016.

O cavaco de madeira é uma biomassa florestal que gera energia limpa e, consequentemente, menos gases de efeito estufa se comparada com outras fontes energéticas, como o gás natural e o óleo BPF (derivado do petróleo). Entre os clientes que adquirem o cavaco de madeira da Duratex estão usinas para a geração de energia e indústrias do ramo alimentício, que o utilizam para obter vapor e gás quente.

"Nosso cavaco é gerado a partir de árvores inteiras de eucalipto, não utilizamos resíduos florestais, o que garante maior homogeneidade da matéria-prima e poder calorífico nas caldeiras", diz José Ricardo Paraíso Ferraz, Diretor Florestal da Duratex. "Além disso, investimos constantemente em equipamentos e nos processos de manejo florestal", completa.

O processo de manejo florestal da Duratex é certificado, há mais de 20 anos, pelo FSC® (Forest Stewardship Council®) e todas suas unidades fabris possuem o certificado de cadeia de custódia FSC, o que garante que os produtos são fabricados com madeira proveniente de fontes responsáveis, manejadas de forma ambientalmente adequada e socialmente benéfica e de outras fontes controladas. A Duratex foi a 1ª empresa da América do Sul e décima no mundo a conquistar a certificação.

Todo o desempenho ambiental, econômico e social da Duratex é divulgado no Relatório Anual e de Sustentabilidade da companhia. O documento é publicado desde 2004 e segue as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) desde 2007. A empresa também segue o Código Abrasca de Autorregulação e Boas Práticas das Companhias Abertas.

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL