02/02/2017 14h20

Plantios tardios de cedro australiano e adequação ao clima são boas oportunidades entre fevereiro e abril

De acordo com artigo de Eduardo Stehling, o que já foi considerado exceção agora é uma grande chance para o sucesso de sua floresta com cedro australiano e outras espécies

Por: Eduardo Stehling
 
 
Formação de bulbo utilizando o hidrogel retentor Formação de bulbo utilizando o hidrogel retentor

A precipitação é o principal fator para determinar janelas de plantios florestais. Entretanto, apenas a ocorrência de chuvas às vezes não garante sucesso no estabelecimento das mudas. Conhecer e saber usar técnicas adicionais para um bom resultado no plantio tem sido determinante em tempos de variações climáticas. Desde o viveiro de espera até o uso do hidrogel e protetores de mudas, falarei um pouco sobre as vantagens de se fazer plantios de cedro após o mês de fevereiro.

Mudanças

Nos últimos anos a distribuição anual das chuvas tem mudado e se afastado da média histórica na maioria dos Estados brasileiros. Isto trouxe dificuldades para os produtores, independentemente de seu prévio conhecimento sobre o clima de sua propriedade. A redução da precipitação anual, mudanças na distribuição mensal, seca, tempestades mais fortes, são alguns dos exemplos que pegaram o produtor rural de surpresa no Sudeste, especialmente de 2014 para cá. No Nordeste, mesmo em regiões de boa precipitação como o sul da Bahia, a seca veio forte neste ano de 2016 trazendo a certeza de que precisamos nos adaptar para continuar trabalhando com a agricultura e a silvicultura.

Na região Sudeste, a premissa básica de que é necessário plantar em outubro para pegar o maior volume de chuvas muitas vezes limita as possibilidades do produtor. Este conceito é muito importante, entretanto, com a redução das chuvas nos meses de dezembro e janeiro, é preciso que seja revisto. A necessidade de irrigação devido a veranicos, altas temperaturas e intensa radiação solar do período e, às vezes, a recarga incompleta de água no solo, trouxeram prejuízos até a produtores experientes. Muitos ignoram as vantagens de se plantar nos meses de fevereiro até início de abril e muitas vezes perdem uma excelente oportunidade.

 
Viveiro de espera com cedro australiano Viveiro de espera com cedro australiano

Usando o clima

Com as chuvas de fevereiro, o solo satura-se de água proporcionando vantagem na sobrevivência das mudas. Os dias já não são tão quentes e existe uma diminuição da radiação solar comparando com dezembro/janeiro, fatores que influenciam muito na necessidade e frequência de eventuais irrigações para estabelecimento do plantio. Existe também redução do risco de queima de coleto.

Diferente do que muitos acham, ter umidade no solo nem sempre é suficiente para uma muda recém-plantada em sua primeira quinzena no solo. Esta muda tem suas raízes restritas ao volume ocupado pelo torrão e ainda não consegue absorver água com eficiência. Ela precisa de boas condições climáticas e adubação fosfatada para o enraizamento, evento que garantirá o estabelecimento e a capacidade de absorver água do solo com eficiência. Nessa fase, um veranico poderá impactar na qualidade futura da floresta, podendo reduzir o IMA (incremento médio anual) e afetar a altura e vigor das plantas. Nos plantios realizados a partir de fevereiro, o produtor já se programa para não depender totalmente das chuvas, minimizando a ocorrência de problemas.

 
Uso do protetor de mudas contra queima de coleto, afogamento e evaporação Uso do protetor de mudas contra queima de coleto, afogamento e evaporação

Acessórios para aumento da sobrevivência

Irrigações para a sobrevivência das mudas custam caro e nem sempre são possíveis devido à topografia do local. A dificuldade de circular com um tanque pipa dentro da área indica a necessidade de buscar outra alternativa para reduzir a necessidade de rega e sua frequência. Observar a previsão do tempo buscando a janela correta de plantio reduz a necessidade de irrigação, e para isso, ter um bom viveiro de espera é fundamental. Com as mudas bem acomodadas na propriedade, o produtor não precisa de correria para buscá-las quando chover e pode aguardar o tempo necessário para plantar.

O uso do gel hidro-retentor é uma excelente alternativa, pois cria um bulbo úmido ao redor da muda que funciona bem durante aproximadamente 5 dias com radiação normal. Isto proporciona alguns dias a mais antes que a irrigação seja necessária ou que chova. Outra forma de minimizar os efeitos do calor, radiação e falta d´água é o uso do protetor de mudas. Ele evita que ocorra afogamento por movimentação de terra em chuvas abundantes, e protege da radiação solar excessiva no solo e no coleto das mudas, reduzindo o calor e a evaporação. Associado ao gel, o protetor de mudas aumenta muito a chance de estabelecimento das plantas sem necessidade de irrigação, ou reduzindo muito sua frequência. O custo destes acessórios vale a pena quando comparado com os custos de irrigações frequentes, replantas e a dificuldade que estas operações trazem.

 
Cobertura feita com palhada curtida Cobertura feita com palhada curtida

Oportunidades

Outro ponto positivo em se plantar a partir de fevereiro é que a necessidade no controle do mato é menor, oferecendo redução de custos, menor competição e risco para as mudas. Os valores economizados com o controle do mato no período são revertidos para as irrigações, gel e protetores de mudas, reduzindo o custo de implantação por hectare, viabilizando ainda mais a estratégia do plantio tardio.

Integrar floresta através de consórcios também pode ajudar na implantação. O plantio do cedro australiano junto com o café é uma excelente prova disso. O sombreamento proporcionado pelo café cria um microclima ótimo para o desenvolvimento inicial da muda.

Planto cedro australiano desde 2007, e vejo com bons olhos os resultados obtidos nos plantios realizados entre fevereiro e abril. Algumas vezes não será possível fazer todos os tratos culturais previstos para o período, porém, isto é compensado após o inverno, com o início das chuvas, sem que o desenvolvimento deixe a desejar. Muitas vezes os resultados superam o comportamento de florestas que passaram pelo estresse de veranicos inesperados na fase de implantação.

Então, se você achava que não é adequado plantar a partir de fevereiro, reveja seus conceitos. O que já foi considerado exceção agora é uma grande oportunidade para o sucesso de sua floresta.

Eduardo Stehling é biólogo e gestor de melhoramento e produção da Bela Vista Florestal

Contato: pesquisa@belavistaflorestal.com.br ou (35) 3832-1132

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL