09/09/2017 10h15

Últimas tecnologias em polpação e branqueamento são apresentadas nas mais importantes conferências mundiais

Organizadores falam sobre IPBC e ISWFPC, responsáveis pela reunião dos mais importantes nomes em polpação e branqueamento celulósico do mundo

Por: Julia Carolina Athanázio Heliodoro
 
Professores Jorge Luiz Colodette e Fernando José Borges Gomes Professores Jorge Luiz Colodette e Fernando José Borges Gomes

Juntas pela primeira vez na história, IPBC e ISWFPC se encontraram na última quarta-feira reunindo os mais renomados cientistas das áreas de química da madeira, polpação, branqueamento e biorrefinaria. Segundo o professor Fernando José Borges Gomes, da UFRRJ, secretário da conferência "Os eventos que aconteceram nos últimos dias 28 de agosto a 01 de setembro superaram as expectativas com grande participação de alta qualidade técnica dos trabalhos orais e em pôsteres, apresentações de patentes que estão sendo colocadas no mercado e estudos de casos já aplicados à realidade fabril do setor de celulose, inclusive aliados aos fornecedores. Foi um grande desafio aceito pela UFV, mas com ótimo resultado, todos os envolvidos no setor compareceram!"

O presidente dos dois eventos, professor Jorge Colodette, da UFV disse que nunca foi visto antes no Brasil um grupo de cientistas e profissionais de tão alto nível nessas áreas da ciência. "Reunimos aqui cientistas de primeira classe, incluindo vencedores do prêmio Wallemberg, que é o nobel da indústria floresta, concedido pela Wallemberg Foundation, vencedores da Anselme Payen Award, concedido pela American Chemical Society, membros das academias de ciências dos EUA e da Finlândia e diretores de grandes empresas nacionais e internacionais como Francisco Razzolini da Klabin e Fernando Bertolucci da Fibria." disse.

Questionado sobre o maior desafio durante a organização e os maiores destaques dos eventos, professor Colodette disse "A maior dificuldade foi montar o programa técnico especialmente na IPBC, já que o branqueamento da polpa celulósica está bem consolidado, mas tivemos grandes trabalhos ainda assim, que já terão inclusive, aplicação imediata. Pudemos perceber no evento que está havendo uma retomada dos estudos de branqueamento pela tecnologia Total Chlorine Free (processo TCF) e de fechamento dos circuitos de água nas plantas de branqueamento, em razão da carência de água em muitas partes do planeta. Alguns trabalhos chamaram a atenção como o apresentado pelo professor Tapani Vuorinen da Universidade Aalto da Finlandia, onde descreve uma nova tecnologia de branqueamento da celulose, usando um catalizador, que permite realizar o processo com baixo dispêndio de reagentes químicos, baixas temperaturas e tempos curtos de reação. Outro destaque foi o trabalho de Auphélia Burnet do Centre Technique du Papier da França, onde apresenta uma tecnologia proprietária que permite reduzir o consumo de dióxido de cloro em 30%."

No ISWFPC o destaque foram as pesquisas em biorrefinaria, mostrando a tendência à agregação de valor com novos produtos à linha de produção. Segundo o professor Colodette, no evento há duas principais linhas dentro da biorrefinaria: produção e aplicação de nanoceluloses e extração e aplicações da lignina kraft. "Dentre os trabalhos de nanoceluloses, se destacaram os trabalhos com LCNF para a produção de papéis krafliner e sackrft. No caso da lignina ponto importante foi a tecnologia de ativação da lignina HWD ainda no licor negro (Cat-lignin) com posterior extração de um material de alta reatividade para produção de adesivos. Outro destaque foi na produção de lignina transgênica de alta reatividade (Zip-lignin)." disse.

Outra grande evidência foi a participação dos pesquisadores da UFV que têm grande destaque no evento. "É um grupo muito engajado devido a uma dedicação intensa, que vem de anos dos professores Rubens Chaves de Oliveira, Jorge Luiz Colodette, José Lívio Gomide (in memorian), Cláudio Mudadu Silva e agora com a minha participação. Todos trabalhos são de grande relevância e com a preocupação de ter aplicabilidade" declarou o professor Fernando, mostrando que a UFV foi a instituição com maior participação no evento.

Segundo o professor Rubens Chaves de Oliveira, da UFV "O eventos organizados pela UFV são normalmente científicos e, portanto, sempre trazem novidades. É uma forma muita prática de nós pesquisadores, que moramos distantes uns dos outros, trocarmos experiências, trilhando também, novos desenvolvimentos. Esse conhecimento não pode ficar estagnado entre uma pessoa ou outra e aqui é a forma de compartilharmos isso! Não é fácil tiram tantas pessoas do seu conforto e do se dia-a-dia de trabalho durante uma semana toda. Se elas vieram é porquê o evento realmente é um sucesso!" disse.

Presidente e secretário do evento, professor Jorge Coloddette e Fernando Borges Gomes destacaram que a próxima IPBC será realizada na Finlândia no ano de 2019 e o próximo ISWFPC será realizado no Japão também em 2019.

Veja AQUI os trabalhos apresentados na IPBC, que recebeu 165 delegados de 12 países sendo representantes de 62 indústrias de papel e celulose e 57 fornecedores interessados no que seria apresentado, e 37 universidades e instituições de ensino.

AQUI você pode conferir os trabalhos apresentados na ISWFPC que teve 213 delegados de 25 países, 50 indústrias e 86 fornecedores presentes e 60 universidades.

Crédito imagens: Péricles Luconi (Estúdio Zero Produções - zeroproducoes@uol.com.br)

Envie seu Comentário


 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL