13/06/2017 14h25

Investimento em tecnologia é o destaque das grandes marcas na ElmiaWood 2017

Simuladores e acompanhamento do desempenho na colheita são essenciais para o autodesenvolvimento do operador e maior produtividade nas atividades em campo

Por: Julia Carolina Athanázio Heliodoro
 
Fonte: Ponsse

A aposta da Ponsse

A Ponsse mostrou na ElmiaWood 2017 a aposta que tem feito na área tecnológica. O "Simulator" é uma forma eficiente de capacitar os operadores florestais na sua transição de sistemas de árvores inteiras, por exemplo, para o sistema CTL, ou simplesmente aumentar a sua produtividade. O sistema permite uma avaliação final do resultado e produtividade do trabalho realizado.

Disponível para harvester e forwarder da Ponsse, o equipamento parece a cabine das próprias máquinas e o operador em treinamento vê o campo com uso de um óculos 3D. É uma maneira econômica de proporcionar prática no treinamento Ponsse de cinco semanas que consiste em uma semana no simulador, uma semana na máquina fazendo apenas movimentos e três semanas operando com o instrutor. Segundo Fernando Campos, representante Brasileiro da Ponsse, o programa de treinamento engloba ainda a parte de apontamento eletrônico, uso de mapas e operação com uso do Ecodrive para maior eficiência energética.

O Ecodrive citado acima é mais uma aposta da Ponsse para aumento da produtividade das operações. O sistema que começou com o Forwarder está agora disponível para a Harvester e tem como objetivo o autodesenvolvimento do operador já que mostra, durante o seu trabalho, a sua performance comparada às últimas 30 árvores com as mesmas características, para cada operação. Logado ao sistema, o operador envia automaticamente dados para a central e gera relatórios com a medição real do volume de madeira processado. Além de detalhes da colheita, gera também dados do operador e da máquina como produtividade e posição em campo. O sistema evita o uso de combustível além do necessário e incentiva o operador a melhorar seu desempenho além de eliminar grandes falhas enviado relatórios de erros da máquina, fazer o rastreamento da frota e calcular tempo de trabalho para abastecimento e manutenção.

Investimento em tecnologia

Outras empresas florestais também têm apostado em tecnologia. A Cater Pillar, por exemplo, lançou o aplicativo VisionLink® que possibilita ao produtor ver a localização do seu equipamento em campo junto de um diagnóstico completo de todos os componentes da máquina como códigos de falhas e eventos, lembrete de manutenção preventiva, horas de trabalho do operador, tempo ocioso e velocidade de operação da máquina.

Um caso real aconteceu com o aplicativo: um proprietário acompanhou seu operador de máquina CAT operando 40 horas por semana, sendo que 16 delas foram em marcha lenta! Com o equipamento consumindo cerca de cinco litros de combustível por hora em marcha lenta, e o combustível custando US$1,50/L (nos EUA, não no Brasil!!!), o operador perdeu US$120,00 só naquela semana!!! E ainda acrescentou 16 horas improdutivas à empresa!

Simuladores na ElmiaWood 2017

Na ElmiaWood também foi apresentado a nova interface do sistema de controle LOGSET TOC que acompanha e registra os dados do equipamento, do operador e da colheita e gera relatórios. A empresa também possui o seu simulador para formação de novos operadores ou transição de operações. O sistema é usado na Logset também como solução no suporte técnico, pois quando o problema é simulado junto ao técnico, a solução é mais rápida, precisa e ilustrativa.

No estande da John Deere, foi possível testar o Controle Inteligente Lança versão 2.0 que permite o teste da maioria dos equipamentos da marca! O programa foi atualizado inclusive para versões mais antigas e utiliza informações sobre a posição e a velocidade de rotação do guindaste para testes reais! O Terrain Editor permite a criação de quaisquer terrenos para operação com pontuação.

Já na Komatsu os simuladores também estavam disputados para teste. Com um editor de floresta embutido, é possível criar o ambiente de trabalho específico para testes. Além disso também é possível que operadores de harvester e forwarder, por exemplo, "operem" juntos no sistema multiplayer no mesmo modo de exibição.

Estes tipos de equipamentos são sempre bem recebidos e importantes para melhorar o desempenho do operador, com um baixo investimento. Tecnologia, a grande aposta das empresas no momento, é a melhor maneira de acompanhar, registar e desenvolver cada vez mais a produtividade das suas máquinas e dos operadores.

Fonte: Jonh Deere

 
 

SOBRE O PAINEL FLORESTAL